(21) 2445-4941 (21) 97236-2929

Av. das Lagoas, 12 - Gardênia Azul (Jacarepaguá), Rio de Janeiro/RJ

Notícias da paróquia › 13/12/2017, 0303:43

Comunidade paroquial comemora o dia da padroeira

Depois de nove dias de oração com a Novena de Santa Luzia, a comunidade comemorou a festa da padroeira – invocada pelos fiéis como a protetora dos olhos – com um dia intenso de oração e agradecimento. A primeira missa do dia 13 de dezembro foi celebrada às 7h pelo pároco, padre Robert Chrząszcz; seguida de uma Missa Solene, presidida pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta e concelebrada por diversos padres do Vicariato de Jacarepaguá, entre eles: monsenhor Jan Kaleta, padre Evandro José da Silva, padre Marcos Vinicio Miranda, padre Sebastião Cintra, padre Zdzislaw Stanislaw Blaszczyk (Pe. Tiago) e padre Bouguslaw Batkiewicz (Pe. Ricardo).

Na homilia, o Cardeal relacionou a padroeira às virgens previdentes, citadas no Evangelho próprio dos santos.

“Assim como na parábola das jovens e as lâmpadas de óleo, que nunca falte azeite nas nossas lâmpadas. Que nenhuma doença ou impedimento na visão, nos prive de ver com os olhos da fé. Que Santa Luzia interceda por nós, para que nossas lâmpadas estejam sempre acessas e enxerguem a luz de Deus em nossas vidas”.

Dom Orani explicou que Santa Luzia faz parte das sete mulheres mencionadas no Cânon Romano (Oração Eucarística I), como verdadeira testemunha de Cristo Jesus. Ele ainda ressaltou o testemunho da santa de Siracusa, que viveu apaixonada por Cristo, e no momento do martírio, quando foi obrigada a deixar a fé, não o fez.

“Agradecemos a Deus pelo testemunho de Santa Luzia e pedimos que ela nos ajude a permanecermos firmes em meio a tantas coisas que fazem contra Cristo. Mostremos para as escuridões desse mundo que Jesus é nossa luz”, pontuou.

Ao final da celebração, o Arcebispo abençoou uma placa que data a festa de Santa Luzia do ano de 1957 e marca a memória da comunidade. Ele ainda fez uma oração e deu a bênção dos olhos. Após a Santa Missa, os padres concederam uma bênção individual a todos os fiéis presentes.

Igreja lotada na festa da padroeira. Viva Santa Luzia!

Dom Orani e os sacerdotes do Vicariato de Jacarepaguá

Às 12h, a Santa Missa foi celebrada pelo padre Silvio Klebson, da Paróquia Nossa Senhora das Graças, na Curicica.  Ele nos lembrou da fidelidade da jovem mártir, que viveu totalmente voltada para Deus.

“Hoje precisamos olhar para a vida de Santa Luzia e avaliar a nossa relação com Deus, nossa vida de oração e sacramental, nossa caridade e amor para com o próximo. Será que temos imitado Santa Luzia, sendo portadores da luz para nossos irmãos que estão nas trevas? Será que estamos com os olhos fixos no Senhor? Essa jovem santa nos convida a renunciarmos a nossa vontade para fazermos a vontade de Deus; a estarmos com os olhos fixos na Cruz de Cristo para vencermos as tribulações”.

 

Padre Silvio incensa a imagem da padroeira

Às 15h uma Adoração ao Santíssimo Sacramento e a recitação do Terço da Misericórdia, transmitidos ao vivo pela página da paróquia no Facebook, deram continuidade a festa de Santa Luzia.

Da Ordem dos Frades Menores Conventuais, Frei Luiz Fernando Lima Rangel celebrou a missa das 17h30. Sacerdote fruto da Paróquia Santa Luzia, ele salientou a figura da padroeira como mulher que se doou inteiramente a promessa do Senhor e lutou para que não tirassem dela a força do Espírito Santo. 

“Santa Luzia teve consciência de que não são as coisas do mundo que precisam ser mudadas, mas as motivações que temos internamente. Muitas vezes os valores e modelos do Evangelho foram esquecidos por nós. 

O que basta para nós hoje? O que é preciso fazer para viver o martírio no nosso tempo? Hoje temos a consciência de que devemos rever nossa ação pastoral e evangelizadora. Ir contra o relativismo, escolhendo a consciência reta do Evangelho”. 

Frei Luis falou ainda sobre os pecados que nós, cristãos católicos, estamos propensos a cometer, mas achamos que são indiferentes. 

“Se cremos em Deus devemos esquecer os pecados que o mundo nos incentiva a fazer. Coisas simples como furar a fila do banco, se aproveitar para conseguir algo fácil quando conhecemos amigos, faltar às missas dominicais. Precisamos lembrar que quando esquecemos as coisas eternas que vem de Deus, pecamos. 

O foco em Deus, pelo contrário, gera conhecimento acerca do noivo que nos espera. Hoje é uma oportunidade para que os olhos de nossas almas sejam purificados, lavados pela água nova do Espírito Santo. Santa Luzia, ofertando seus olhos, deu ao mundo a possibilidade de enxergar os bens que vem de Deus”, acrescentou. 

Às 19h formou-se um cortejo que seguiu em procissão pelas ruas da comunidade. A imagem da mártir Santa Luzia estava ornada com muitas rosas e o povo aclamava com jubilo sua intercessão.  

A igreja lotada e festiva acolheu a última celebração do dia, às 19h30. A Santa Missa Solene foi presidida pelo Bispo Auxiliar Dom Luiz Henrique da Silva Brito que frisou ser a cegueira espiritual, o maior mal existente na vida do cristão. 

“A cegueira começa pela indiferença, pelo orgulho, pela prepotência. Quando há cegueira espiritual, só enxergamos o outro distorcido. Por este motivo, devemos pedir ao Senhor, por intercessão de Santa Luzia, que nos ajude a enxergar melhor”, exortou. 

Uma festa no pátio encerrou o dia dedicado à Santa Luzia. Com barraquinhas e show da Banda paroquial Chão e Paz, os fiéis puderam confraternizar com os amigos e a comunidade paroquial.