(21) 2445-4941 (21) 97236-2929

Av. das Lagoas, 12 - Gardênia Azul (Jacarepaguá), Rio de Janeiro/RJ

Artigos › 01/11/2017, 0909:24

Por que os católicos não comem carne às sextas-feiras?

Quando os católicos devem fazer abstinência de carne?

A maioria dos fieis responderiam que a abstinência de carne é obrigatória na Quarta-feira de cinza e Sexta-Feira Santa. Porém essa resposta está incompleta. É uma grande surpresa para todos, mas a obrigação de realizar abstinência de carne, de acordo com o Código de Direito Canônico (que é o livro que mostra todas as leis da Igreja) é em TODAS AS SEXTAS FEIRAS DO ANO. Surpreso? É isso mesmo! Pela legislação atual da Igreja, essa determinação ainda é válida e está, portanto, em pleno vigor.

No cânon 1251 , lemos -” Guarde-se a abstinência de carne ou de outro alimento segundo as determinações da Conferência episcopal, todas as sextas-feiras do ano, a não ser que coincidam com algum dia enumerado entre as solenidades; a abstinência e o jejum na quarta-feira de Cinzas e na sexta-feira da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo.”

Portanto, de acordo com a lei atual da Igreja, todo católico, a partir dos 14 anos de idade, deve cumprir a abstinência de carne em todas as sextas feiras do ano, exceto em alguma solenidade (se por exemplo o Natal cair numa sexta feira, não é necessário fazer abstinência de carne).

No Brasil, de acordo com a CNBB, tendo aprovação da Santa Sé:

“o fiel católico brasileiro pode substituir a abstinência de carne por uma obra de caridade, um ato de piedade ou ainda trocar a carne por um outro alimento (CNBB, Diretório da Liturgia e da organização da Igreja no Brasil, 2010).”

 

Nas sextas é permitido comer PEIXES e OVOS

No nosso país é possível mudar a abstinência de carne por uma obra de caridade ou piedade (fazer uma oração especial, por exemplo), ou trocar por outro alimento. Porém, em toda tradição cristã, a abstinência de carne sempre foi mais utilizada, justamente para lembrar a paixão de Jesus.

Santo Tomás de Aquino diz que o “jejum foi estabelecido pela Igreja para reprimir as concupiscências da carne, cujo objeto são os prazeres sensíveis da mesa e das relações sexuais” (Santo Tomás de Aquino, Suma Teológica, II, II, q. 147, a. 8)

Por meio de tal prática é que se pode alcançar com frutos a virtude da temperança, definida pelo Catecismo da Igreja Católica como sendo a “virtude moral que modera a atração pelos prazeres e procura o equilíbrio no uso dos bens criados” (Catecismo da Igreja Católica, nº 1809).

Ela assegura o “domínio da vontade sobre os instintos e mantém os desejos dentro dos limites da honestidade” (Catecismo da Igreja Católica, nº 1809).

O costume de se abster de carne na sexta-feira sempre esteve ligado à Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, portanto, é necessário recuperá-lo a fim de aumentar ainda mais a devoção e a própria configuração Àquele que deu seu Sangue e sua vida por amor a nós, pobres criaturas. E, assim, como não amar de volta? Como não recordar – na sexta-feira – o grande amor que salvou a humanidade?

Salve Maria!